20/12/2017 Queda de cabelo em mulheres: Condições médicas e remédios
Queda de cabelo em mulheres: Condições médicas e remédios

E chegamos ao fim da série sobre queda feminina de cabelos com um tema muito relevante: as condições médicas e remédios que acarretam a perda de cabelo excessiva em mulheres. Algumas são mais conhecidas que outras, porém, existem tratamentos médicos adequados para cada caso.

Mas além dessas condições, existem outras causam que levam à queda de cabelos em mulheres já apresentadas aqui no Blog Reposit: as causas nutricionais, as hormonais e os agentes químicos e físicos. Em qualquer caso de queda de cabelo acerbada, o mais importante é procurar um médico dermatologista e investigar o que está acontecendo em seu organismo.

Uma das causas mais conhecidas para queda de cabelos é a dermatite seborreica. Esse problema provoca descamação do couro cabeludo, vermelhidão, coceira, irritação e, em alguns casos, queda de cabelo. O clima, a oleosidade, fungos e fatores e genéticos estão entre as causas da caspa. O tratamento geralmente é feito com antifúngicos, shampoos especiais e corticoides. Vale ressaltar que a água muito quente e os acessórios que abafam a cabeça (como bonés, toucas e lenços) são fatores que pioram o quadro, devendo ser evitados por quem deseja acabar com a caspa.

Outra condição médica que causa a queda dos fios é a psoríase do couro cabeludo. Essa é uma condição crônica, de fundo genético e autoimune, que causa lesões avermelhadas e escamações na pele. Quando ela é muito grave, pode causar um aumento na queda devido à coceira e inflamação da região. No entanto, o crescimento do cabelo pode voltar ao normal quando ela é tratada. Apesar de ser uma condição médica difícil de ser tratada, há muitos remédios que são eficazes.

Outra doença autoimune que causa a queda de cabelos é a alopecia areata. Ela faz com que os fios de cabelo caiam para fora dos folículos, devido ao próprio sistema imune do corpo que ataca os folículos pilosos saudáveis. Na maioria dos casos, surgem buracos de calvície no couro cabeludo. Em geral, o dano não é permanente e os cabelos voltam a crescer em 6 ou 12 meses, podendo a condição avançar e regredir espontaneamente ao longo da vida. Apesar de não existir cura definitiva, existem diversas opções de tratamento para a alopecia areata com ótimos resultados.

A foliculite também é uma condição que gera a perda de fios de cabelo. Ela aparece com anéis de inflamação em torno da abertura do folículo piloso. Em casos muito graves, pode até ocorrer a destruição permanente dos folículos pilosos, deixando pequenas áreas calvas. Alguns antibióticos de uso tópico e outros de via oral podem tratar a foliculite e diminuir a queda.

Micoses no couro cabeludo também são causadoras da queda de cabelo. Elas são causadas por fungos e geram coceira, algumas vezes acompanhada de inflamação. Fatores genéticos, clima e deficiências nutricionais podem aumentar as chances de ocorrência do problema. Em todos os casos, o tratamento geralmente é realizado com antifúngicos em comprimidos e shampoos.

Diversas doenças também podem acarretar a queda de cabelo, como é o caso da diabetes, hipertensão, hiper e hipotireoidismo, lúpus, problemas na hipófise, nas supra-renais, sífilis e síndrome de cushing. Em alguns casos, uma investigação de uma queda de cabelo pode literalmente salvar a sua vida. Quando ocorrer queda de cabelo excessiva, procurar um médico especialista (dermatologista ou endocrinologista) que auxiliará um tratamento para o problema.

Dentre as doenças que causam a queda, deve-se destacar a síndrome de má absorção. Na verdade, esse é um conjunto de problemas que pode fazer com que o corpo não absorva os nutrientes de maneira adequada e gerar deficiências nutricionais, que como já vimos é o principal ponto de partida da queda de cabelos. Algumas das causas de má absorção são a doença celíaca, doença de Crohn, retocolite ulcerativa, obstrução do duto biliar, pancreatite, fibrose cística, intolerância à lactose, parasitoses, cirurgia bariátrica ou que remova parte do intestino delgado. A ocorrência de perda de peso mesmo mantendo uma dieta normal, diarreia frequente e deficiências nutricionais podem levar à suspeita de má absorção.

Por fim, existem algumas medicações que também podem causar queda. Nesses casos, por fazer parte de um tratamento prescrito, sempre que ocorrer a queda, deve-se comunicar ao médico a situação para avaliação da dosagem e permanência da medicação. Dentre as medicações que podem causar queda dos fios estão os antibióticos, anticoagulantes, anticonvulsivantes, antidepressivos, anti-hipertensivos, anti-inflamatórios, betabloqueadores, corticoides, lítio, resinoides, remédios para colesterol, para diabetes, para gota e para tireoide.

Todas as condições médicas e doenças citadas precisam de tratamento e acompanhamento médico adequados. Já o uso de medicações altera algumas funções do organismo e pode ocorrer a inferência de absorção de nutrientes essenciais para o crescimento e nutrição capilar. Em ambos os caos, o Reposit é um forte aliado aos tratamentos médicos, fornecendo vitaminas e minareis para que os fios possam crescer fortes e saudáveis. Ele dispõe de todas as vitaminas e minerais essenciais para o fortalecimento das unhas e cabelos. A combinação das vitaminas A, E, H (biotina) e dos minerais selênio e cobre realizam a prevenção da queda capilar prevenindo a degeneração celular por conta da sua ação antioxidante. Auxiliam também na produção de novos fios e aceleram o seu crescimento, promovendo o fluxo do sangue no couro cabeludo.

Por isso, se você sofre de queda de cabelo, seja qual for a sua causa, não se esqueça do seu Reposit todo os dias. Ele é o aliado da sua beleza e faz com que você se sinta incrível todos os dias! 

Que tal receber as postagens apenas dos assuntos de seu interesse?

Selecione os assuntos e cadastre-se gratuitamente: